Caustic Love - Paolo Nutini
Caustic Love Image
Metascore
79

Generally favorable reviews - based on 10 Critics What's this?

User Score
8.2

Universal acclaim- based on 26 Ratings

Your Score
0 out of 10
Rate this:
  • 10
  • 9
  • 8
  • 7
  • 6
  • 5
  • 4
  • 3
  • 2
  • 1
  • 0
  • 0
  • Summary: The third full-length release for the Scottish singer-songwriter was produced with Dani Castelar.
  • Record Label: Atlantic
  • Genre(s): Pop/Rock, Adult Alternative Pop/Rock, Alternative/Indie Rock, Contemporary Singer/Songwriter
  • More Details and Credits »
Score distribution:
  1. Positive: 8 out of 10
  2. Negative: 0 out of 10
  1. 100
    Caustic Love may be the best UK R&B album since the 1970s blue-eyed-soul heyday of Rod Stewart and Joe Cocker.
  2. Apr 10, 2014
    80
    Caustic Love is the sound of Nutini finally finding his groove and producing a record that lives up to his talent.
  3. Apr 10, 2014
    80
    The 27-year-old and his whisky-soaked words writhe their way around a multitude of Motown-inflected could-be singles, paying homage to Prince, Marvin Gaye, Echo and the Bunnymen, the Beach Boys and D'Angelo along the way.
  4. Apr 18, 2014
    80
    While Caustic Love is clearly the work of a maturing singer-songwriter (shedding jaunty charm for depth and ambition), it finds the 27-year-old still skittering around in search of an artistic identity.
  5. Apr 23, 2014
    80
    Caustic Love is a truly excellent modern soul record. [May 2014, p.114]
  6. Apr 10, 2014
    70
    Nutini reins in the melodrama, and Caustic Love is testament to that restraint.
  7. Apr 10, 2014
    60
    He's let down by the lyrics, which seem, to have been assembled from a collection of fridge magnet soul cliches. [May 2014, p.78]

See all 10 Critic Reviews

Score distribution:
  1. Positive: 6 out of 6
  2. Mixed: 0 out of 6
  3. Negative: 0 out of 6
  1. Apr 17, 2014
    10
    Hands down his best album, the best album of the year so far and possibly one of the best soul / blues / R & B albums ever. Nutini has really found his groove and is holding nothing back anymore. He keeps it fresh with a guest vocal rap on 'Fashion' that slots in effortlessly (is that Janelle Monae?), kicks it way back on 'Better Man' and gets heavy and philosophical on 'Iron Sky' without it ever seeming contrived. SUCH a great album! Expand
  2. Apr 17, 2014
    10
    Best album ever. Cannot get enough of it. Had it on repeat for the past two days. This is going to go down as one of the greats. Nutini you legend!!!!!!!!!!!!!!!!!! Expand
  3. Jul 11, 2014
    9
    Caustic Love, terceiro álbum do inglês Paolo Nutini, não é um álbum perdido no tempo. É a noção de música boa hoje em dia que está perdida no mar de mediocridade que assola a música. Caustic Love é o álbum perfeito para o momento perfeito.

    Para quem não conhece Paolo deve ser impactante ouvi-lo pela primeira vez: um jovem britânico de apenas 27 anos que tem a voz como se fosse um cantor negro vindo direto dos anos sessenta. Pode até parecer estranho falar assim, mas ouvir Paolo é como reviver momentos em que os "originadores" como Ray Charles ou Marvin Gaye ainda andavam sobre a terra. Só que a voz do cantor vai mais longe e não apenas emoldura a vibe vocal, mas de alguma forma ele consegue ter a mesma carga emocional. Se você acredita em reencarnação, então Paolo Nutini pode ser um caso a ser estudado. Suas performances em todo álbum são momentos impactantes de pura nostalgia com uma atmosfera reconfortante de saber que está ouvindo uma voz tão magistral sendo administrada por uma alma talentosa que consegue transmitir emoções viscerais e puras em suas essências. Paolo é versátil: vai do seu lado mais "pesado" em que usa o sua ronquidão de maneira acachapante que deixa quem ouve querendo mais e mais até mesmo o mais delicado usando seu falsete perfeitamente. Essa montanha-russa é uma viagem quase cósmica em que nenhum momento será perdido ou usado em vão. Cada nota saída da boca de Paolo é um prazer carnal, um remédio para almas carentes e um unguento para corpos cansados.

    Se tudo isso não fosse o suficiente, Caustic Love é uma aula de como produzir um álbum. Paolo dispensa produtores badalados e produz o álbum ele mesmo ao lado de Dani Castelar. Então, não é surpresa de que o CD tenha a personalidade dele do começo ao fim, mas o que impressiona aqui é a extrema qualidade em que todos os aspectos estão estruturados. Como dito anteriormente, a sonoridade de Caustic Love é construída exatamente em cima do soul, funk e soul rock feito durante a década de sessenta e começo dos anos setenta. Repito: construída, não plagiada ou com cheiro de mofo. Muito pelo contrario: o som que Paolo faz é atemporal devido ao seu brilhantismo. Arrisco dizer que, se Caustic Love fosse lançado cerca de 40 anos atrás seria uma sucesso que hoje seria considerado um clássico. Há uma sensação de urgência nas canções, uma necessidade que parece ser transportada para fora das barreiras da música, algo tão pungente que faz qualquer pessoa ser arrebatada. Em trabalhos de instrumentalizações que não deixam em nada devendo para trabalhos clássicos da soul music, Paolo Nutini emoldura suas crônicas sobre amor e a vida que fecham o pacote de maneira magistral em momentos que vão levar suas emoções ao um estágio quase espiritual. Não há como falar mais especificamente de várias músicas do álbum, mas sou obrigado a destacar um dos momentos mais poderosos na música que eu já ouvi: Iron Sky, um hino à esperança na raça humana usando parte de um discurso de Charles Chaplin em O Grande Ditador. Genial apenas. Caustic Love mostra que música é imortal, não necessita de inovações tecnológicas ou ideias revolucionárias. Música precisa de talento. Talento como o de Paolo Nutini.
    Expand
  4. Apr 14, 2014
    9
    Nutini's shift into a more soul and funk heavy style has further proven that he truly is a stellar musician and composer. Whilst his two previous albums I enjoyed immensely, These Streets and Sunny Side Up did not have as much heart than this new release. That does not mean to say that there was no heart at all but rather Nutini has clearly created a piece of work that he knows is brilliant. He talks about being a perfectionist and we can clearly see this in his tightly controlled composition of the music in this album and maybe this is what makes Caustic Love a gem, the devotion to creating a truly perfect work of art. Expand
  5. Aug 23, 2014
    9
    http://osianlewis.blogspot.co.uk/2014/08/paolo-nutini-caustic-love-album-review.html

    Read my review of 'Caustic Love'

    'Paolo Christens
    Himself the New Godson of Soul.' Expand
  6. Apr 18, 2014
    8
    Although different genres, this is up there with "Real Estate - Atlas" as one of the best albums of 2014. So many albums get 8,9,10 stars but don't seem to measure up, maybe it's just my aging (y)ears. Very much in a similar bag of chips to Terence Trent D'Arby's first album, it's got a lot of soul history going on inside the tin. It's cohesive, without being samey, probably more likely to be for your mum or dad, if your under 25, but I couldn't be sure :) Expand