Metascore
68

Mixed or average reviews - based on 30 Critics

Critic score distribution:
  1. Positive: 11 out of 30
  2. Negative: 3 out of 30
  1. 100
    A masterpiece, plain and simple. From the opening Pearl Harbor sequence, to the rain-soaked midnight raids, to the machine-gun-mounted elephant rides, Rising Sun oozes with jaw-dropping quality at every single turn.
  2. Solid gameplay wrapped in an engaging story with a dab of multiplayer madness on the side makes for one tasty gaming meal. [Holiday 2003, p.39]
  3. No, the game doesn't look as good as a "SOCOM II," but the gameplay I think is pretty solid, and it's got some really good online play to it.
  4. Engaged me more heavily than any FPS I've played this year. [Dec 2003, p.54]
  5. The end result is that we get another decent Medal Of Honor Game set in the same Medal Of Honor mould when everyone knows that if your going to survive in the jungle you're going to have to adapt to survive.
  6. The single-player campaign doesn't cover much new ground but the multiplayer takes no prisoners. [GamesMaster]
  7. 80
    While a lot of work has been done to make this an accurate experience that feels and sounds right, the gameplay itself lacks the upgrade that it needs.
  8. Each iteration of the Medal of Honor series has been better than the last, and Rising Sun is no exception. It would have been nice to see EA take a few risks and break formula, but the game's a great war shooter nonetheless.
  9. A decent enough way to get your World War II on, but does nothing to move the genre forward or distinguish itself from other FPS games. [Dec 2003, p.136]
  10. The single-player campaign is only eight missions long, and over before you know it. While the multiplayer online games are fun, they are too simplistic to last as long as other games tailored for online like "SOCOM 2" or "Rainbow Six 3."
  11. It's a shame to see a game that could have been spectacular turn out to be just a little bit above average.
  12. 74
    The graphics looked washed out and lacked textures and seemed dated.
  13. The soundtrack perfectly compliments the World War II motif, transitioning flawlessly from one epic instrumental to another.
  14. It's not a bad game, but then again, it's not the be-all and end-all Pacific-theater FPS we expected. The primary emphasis on gloss and glamour over gameplay and challenge suggests that Rising Sun is geared more toward the tyro rather than the savant.
  15. Feels a bit like Michael Bay's Pearl Harbor in that an attempt to make an epic WWII Pacific Theater experience results in a product with brilliant touches mixed with mediocrity.
  16. While bitching about the problems with the enemy, if you manage to hit your enemy with a bullet, I’d make sure to hit him repeatedly… head shots aren’t necessarily fatal, and shots to legs can usually be walked off after bouncing around for a few seconds.
  17. It's fraught with lots of minor gameplay problems that eventually add up to one major headache. Rising Sun isn't completely without merit, since it comes packaged with some nice extra materials and mostly solid production values, but the weakness of the gameplay itself undermines what could have been a much more enjoyable experience.
  18. 60
    True-blue Medal of Honor fans will still enjoy Rising Sun’s cinematic style, respectful and historically accurate atmosphere, and heavily arcade feel. But for many, the game will feel too familiar in a fast-food way, lacking that old Medal of Honor magic.
  19. 60
    A cookie-cutter, linear romp through the sweatier, jungle-infested portions of the Pacific conflict that's sure to almost satisfy fans of the series (especially those craving a split-screen co-op mode -- it's in there!), but leave pretty much everyone else shortchanged; especially in the graphics and gameplay department.
  20. 60
    The few moments of true excellence are sadly overshadowed by some dull level design and lackluster enemy AI. Still, the game provides enough juice to keep the avid "Medal of Honor" fan happy.
  21. Besides basic online deathmatch options and a new set of PTO locales and situations for new recruit Joseph Griffin to step in and save the day, Rising Sun’s average visuals and linear-to-a-fault level design leave us just as cold as “Frontline” did a year ago.
  22. A real disappointment... falls a long way short of reaching the benchmark of its console predecessor.
  23. Rising Sun begins in Pearl Harbor with a bang, but drags on to finish with a whimper.
  24. Quite simply, the game offers nothing that you can’t get in the other games, and can’t have a better time getting in the other games.
  25. As for enemy behavior, it's so embarrassingly bad at times, it's hard not to laugh. [Jan 2004, p.122]
  26. I also have to wonder what part of the world Uncle Sam dug up my own squad mates. They could often be seen running in circles and constantly blocking my line of fire. At least they were resilient; one of the guys was turned into Swiss cheese by an enemy bayonet and shrugged it off like nothing happened. Tough guys…tough guys.
  27. On retreading the levels enemy attacks become predictable puppet shows, with mad-eyed soldiers lining up to get killed exactly where they did many times before. It's the kind of repetition more commonly associated with lightgun games these days. [Christmas 2003, p.109]
  28. A formulaic, by the numbers FPS with zero innovation, demented AI and a crushing lack of inspiration.
  29. There is nothing ultimately redeeming about Medal of Honor: Rising Sun - because ultimately it marks the lowest point in the series.
  30. We were disappointed when "Frontline" failed to take advantage of its World War II settings, but it's galling to see that EA still hasn't got it right with Rising Sun. If there's ever a case against World War III, then surely this is it. [Christmas 2003, p.100]
User Score
7.6

Generally favorable reviews- based on 91 Ratings

User score distribution:
  1. Positive: 37 out of 53
  2. Negative: 9 out of 53
  1. TimM.
    Feb 23, 2004
    10
    Sweets Game 've played RS is way better then frontline.
  2. Oct 19, 2014
    6
    nice grapchics but story and levels are tooo boring .nice grapchics but story and levels are tooo boring . . . Full Review »
  3. Aug 31, 2014
    10
    A história do protagonista que o jogo tenta contar é muito bem contada, porém o game peca no pouco realismo de uma verdadeira Guerra, poisA história do protagonista que o jogo tenta contar é muito bem contada, porém o game peca no pouco realismo de uma verdadeira Guerra, pois você sempre acaba dando de cara com o Joe Griffin a batalhar sozinho contra uma carreira imensa de inimigos em meio a floresta.
    Durante as duas missões introdutórias do game, você fica com aquela expectativa daquela mesma ação durante o resto do game, ação essa que não aparece até você fazer a mesma coisa (atirar em aviões) no final do game, durante a primeira missão por terra, Fall Of the Filipines você já percebe a piada que o jogo está para ser apenas outros dois soldados te ajudando a batalhar contra vários japoneses que surgem seguidamente sem nenhum motivo aparente de dentro de um armazém, e este exemplo acaba se perdurando por incontáveis vezes no jogo, não há um pega realista do que seria uma Guerra (ataques em grupos grandes, tropas, pelotões, trincheiras, invasão reforçada em meio a floresta, etc), pois sempre mesmo estando com outros 2 aliados, você está batalhando sozinho, e este para mim desde a primeira vez que eu joguei quando era criança, foi o ponto negativo do jogo.
    Até mesmo quando você está se aproximando do final do game, durante as últimas missões, desde Singapore Sling, que é o início da carreira de sargento do protagonista e também das missões estratégicas, até Supercarrier Sabotage, a última missão do jogo, você percebe muito bem que é mal feito, sei que eu deveria perdoar o fato de eu batalhar sozinho pelas missões serem estratégicas, mas continua fugindo do que seria a realidade, a missão mais mentirosa do jogo sem dúvida é "A Procura do Ouro de **** pois os 2 aliados que estão ao seu lado, morrem praticamente no início da fase e você acaba percorrendo pelo menos 45% dela sozinho a batalhar contra centenas de soldados e inúmeras metralhadoras, e quando encontra Harry Tanaka, o mesmo não mata absolutamente ninguém e nunca toma a sua frente, oque para mim explica o fato de ele ter apenas 1 ou 2 estrelas no modo multiplayer, e é aí que você acaba por terminar de pecorrer todo o restante da fase ou seja, você percorreu 95% de uma floresta, e 100% de um Gigantesco Templo, like a Super-Man, oque leva a conclusão de que essa fase é a pura piada do game, e a missão mais realística, claramente sem contar Day of Infamy e Pearl Harbor que são maravilhosas, é Suppercarrier Sabotage, pelo seu estilo estratégico muito bem acoplado e perfeitamente bem feito, porém Fall Of the Filipines, Pistol Pete, Singapore Sling, A Procura do Ouro de **** pecam todas da mesma maneira, a mandar em determinados momentos Joe se fuder com centenas de soldados japoneses, e poderiam ser facilmente trocadas por missões que retratassem oque realmente foi a guerra que nós conhecemos, quanto ao Ataque de Meia-Noite em Guadalcanal, todos os que invadiram a base Japonesa já no início da fase uma hora ou outra naquele gigantesco mapa seriam aprisionados ou mortos, oque a coloca em um nível bizarro sem eu ter palavras para a avaliar, e na penúltima missão do jogo, logo no início já acontece para mim oque foi a coisa mais sem criatividade na história dos games, o avião leva um pequeno bombardeio ou balança sem nenhum motivo aparente arremessando Joe para fora, e aquela cara de buceta que ele faz quando está prestes a cair nas arvores já fica como confirmação da coisa mais bizarra do game, sem contar que a fase peca colocando Griffin como um Super-Man principalmente quando batalha contra os sobreviventes do trem em chamas.
    Oque posso deixar das fases do game depois de toda essa analise é que ele contou uma ótima história, com ótimos personagens e um protagonista nada carismático, praticamente mudo, com uma cara de medroso, que alguns momentos aparenta não querer estar a passar por tudo aquilo e que tem vontade simplesmente de ligar o foda-se e fugir da Guerra, mas que apesar de tudo isso acabamos nos apegando, e a querer ajuda-lo a acabar com tudo isso o mais breve possível, sério mesmo, não tenho oque discordar, a história do game foi simplesmente perfeita, com muitos elementos criativos e entusiasmantes, que só seria melhor se Joe ficasse ciente desde o início que seu irmão foi aprisionado e não morto como ele pensou, pois haveria ali uma vontade muito maior e sem medo dele mesmo de acabar com tudo aquilo quanto logo para resgatar seu irmão de sangue, mas quando ele é dado como morto a gente vê em Griffin um homem medroso, sem objetivos, apenas a vontade de acabar logo com tudo oque resta na Guerra, e voltar para Mary, é um personagem que precisa ser ajudado, porém se ele soubesse que seu irmão foi aprisionado desde o início ele teria objetivo, ele mesmo se ajudaria.
    História perfeita, personagens perfeitos, jogabilidade perfeita para a época, tudo cativante que faz a gente querer continuar, o modo Multiplayer e seus personagens carismáticos, fiquei muito decepcionado com as notas que game recebeu, e consequentemente terem cancelado a sequência que planejavam.
    Full Review »